Pesquisa

O Laboratório de Pesquisa e Intervenção Cognitivo-Comportamental – LaPICC-USP trata-se de um grupo de pesquisadores, profissionais, estudantes de graduação e pós-graduação que atuam em Terapia Cognitivo-Comportamental em diferentes contextos e demandas. O mesmo conta com duas frentes de trabalho.

A primeira frente refere-se ao grupo “Prevenção e intervenção psicológica em diferentes populações e demandas a partir da abordagem Cognitivo-Comportamental” que está inserido na linha de pesquisa intitulada "Saúde-Doença: Prevenção, promoção, intervenção e avaliação", do Programa de Pós-Graduação em Psicologia do Departamento de Psicologia - DP da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto - FFCLRP da Universidade de São Paulo - USP.

Os estudos do grupo são direcionados tanto para avaliação quanto para intervenção em diferentes sintomas e transtornos mentais, testando eficiência de propostas de intervenção, levantando dados epidemiológicos dos sintomas, bem como mapeando características de afecções, dificuldades e fatores limitantes para o desenvolvimento de diferentes demandas clínicas. Outro foco de estudos lança-se sobre a promoção e a prevenção do aparecimento de sintomas, estudando fatores de proteção que podem ser aplicados em diferentes contextos e áreas de atuação.

A segunda frente de trabalho refere-se à pesquisa básica abrigando estudos sobre processos cognitivos básicos, direcionados à compreensão dos mecanismos da cognição e sua relação com o cotidiano. Além disso, a falsificação de memória é o foco principal das investigações, tanto em termos processuais quanto em termos de formas de testagem de seus mecanismos.

Projetos

Programa de intervenção cognitivo-comportamental em grupo de reeducação alimentar

A obesidade tem sido considerada um dos maiores problemas de saúde, se transformando atualmente em uma epidemia mundial, devido ao aumento de sua prevalência nos últimos 20 anos em países desenvolvidos e subdesenvolvidos. A existência de fatores ambientais, sociais e psicológicos que interagem entre si para a origem e estabelecimento da obesidade exige a presença de um trabalho multidisciplinar que abarque todos os aspectos deste problema. Crenças disfuncionais contribuem para a etiologia e manutenção da obesidade ao desencadear pensamentos distorcidos acerca do peso, do valor pessoal e da alimentação. A Terapia Cognitivo-Comportamental (TCC) vem se mostrando eficaz para o tratamento de desordens psiquiátricas e disfunções cognitivas e comportamentais ao trabalhar pensamentos e crenças disfuncionais. O presente trabalho tem como objetivo propor um programa de intervenção, voltado para a reestruturação cognitiva dos participantes e baseado na TCC. O estudo será divido em duas fases com procedimentos similares, sendo a primeira etapa a elaboração e primeira aplicação do programa de intervenção e a fase 2 a avaliação, correção e replicação do programa. Participarão do estudo indivíduos voluntariamente inscritos e selecionados pelo Programa de Reeducação Alimentar da Universidade de São Paulo (PRAUSP). Os instrumentos serão compostos de uma entrevista semi-estruturada e questionários clínicos de auto-avaliação com o objetivo de avaliar parâmetros relativos a variáveis consideradas relevantes, tais como: ansiedade, depressão desesperança, compulsão alimentar e percepção da auto-imagem corporal. O programa será composto por duas sessões de testagem, pré e pós-teste, dez sessões terapêuticas focadas na conceitualização e reestruturação cognitiva. O projeto ocorre desde 2009.

Programa de prevenção de saúde em crianças e adolescentes na abordagem cognitivo-comportamental

Com o desenvolvimento as crianças e os adolescentes tomam consciência de seus sentimentos e dos sentimentos dos outros, podendo tornar-se assim mais empáticas e pró-sociais. As crianças e os adolescentes com comportamentos pró-sociais têm maior probabilidade de agir adequadamente em situações sociais, ter menos emoções negativas e serem mais assertivas na resolução de problemas. Para lidar com estes desafios, é necessário que, cada vez mais as crianças possuam um repertório de habilidades sociais mais assertivas. O presente estudo visa propor um programa de intervenção em promoção de saúde psicológica na infância e adolescência à luz da Terapia Cognitivo-Comportamental. Como procedimento será realizado pré e pós-teste em todos os participantes, bem como as 12 sessões de intervenção propostas. Serão utilizados os seguintes instrumentos: Escala de Stress Infantil (Lipp & Lucarelli, 1998), Sistema Multimídia de Habilidades Sociais em Crianças - Del-Prette e Del Prette (2005) entre outros instrumentos de ansiedade e depressão. As sessões de intervenção buscarão implementar habilidades tais como: manejo das emoções, habilidades sociais, manejo de estresse, treino de empatia e assertividade entre outros. Além disto, serão inseridos conhecimentos de Terapia Cognitivo-Comportamental no intuito de ensinar as crianças a interagir com suas próprias cognições. O projeto ocorre desde 2009.

Programa de orientação de pais

O treinamento de pais, no contexto clínico e da saúde, pode ser entendido como um enfoque para o tratamento dos problemas de comportamento, utilizando-se estratégias por meio das quais os pais são treinados a modificar a interação pais-filhos, com o intuito de estimular o comportamento pró-social e diminuir ou eliminar os comportamentos desadaptativos (Olivares, Méndez & Garcia, 1997). A família é o primeiro e mais importante contexto social para o desenvolvimento humano, sendo que os pais atuam como os principais mediadores entre a criança e o mundo. A criança aprende sobre o mundo pelos olhos dos pais, de suas experiências e reações (Gomide, 2004). Dessa forma, as relações familiares exercem profunda influência sobre a saúde mental das crianças (Coelho & Murta, 2007). Contudo, os pais geralmente recebem pouca preparação, além da própria experiência como pais. Muitos pais têm se mostrados confusos a respeito da forma como educar seus filhos. As modificações sociais, como a entrada da mulher no mercado de trabalho, tiveram repercussões na dinâmica familiar, tornando a criação e educação dos filhos um desafio. A maioria dos pais está se baseando em métodos de tentativas e erros de técnicas educativas, a fim de oferecer uma educação adequada para seus filhos (Broecker & Jou, 2007). Considerando a influência das práticas parentais sobre o comportamento dos filhos, a importância da participação dos pais para o sucesso terapêutico da criança e a eficiência do treinamento de pais no tratamento de problemas de comportamento em crianças, esse projeto tem como objetivo a elaboração de um programa de treinamento de pais. Para atingir os objetivos desse projeto, serão realizados dois estudos. O projeto buscará identificadar as demandas, elaborar um programa de intervenção a partir das demandas que surgirem e avaliar o treinamento, com o método pré e pós teste. A partir da análise da eficácia do treinamento proposto, serão realizadas replicações do programa em diferentes demandas. O projeto ocorre desde 2009. Em 2012 foi inserida uma nova frente de trabalho visando a adaptação do programa para fins de promoção de relações mais saudáveis entre pais e filhos sem demanda clínica aparente.

Aprimoramento de uma metodologia de investigação de memória e emoção em amostras clínicas

O presente projeto constitui-se como uma continuidade de uma série de estudos realizados pela autora com foco em memória e emoção (Neufeld, Brust & Stein, 2008a; Neufeld, Brust & Stein, 2008b). Os resultados encontrados nestes estudos apontam que, ao contrário do que gostaríamos de acreditar, podemos ter lembranças distorcidas de eventos emocionalmente intensos experienciados ao longo da vida. Nessa direção, o presente estudo visa refinar o procedimento adaptado testando-o em populações clínicas. Para tanto, buscará comparar participantes adultos portadores de Transtorno mental e participantes adultos sem esses sintomas, investigando o efeito da emoção na performance da memória, para um evento testemunhado. Para o desenvolvimento do trabalho serão utilizados como instrumentos um Material Alvo, uma Escala Subjetiva de Emoção e um Teste de Memória Auto-aplicativo. Além destes, será utilizado um aparelho de eletro condutância da pele para medir a resposta fisiológica emocional, durante a fase de apresentação do material alvo. O projeto ocorre desde 2008. Em 2013 o projeto se volta para a verificação dos efeitos da intervenção em Terapia Cognitivo-Comportamental sobre diferentes processos cognitivos em uma população de ansiosos sociais.

Ensino

Bases da Terapia Cognitivo-Comportamental

O ensino das bases da Terapia Cognitivo-Comportamental tem por objetivo caracterizar e discutir aspectos teóricos e técnicos desta abordagem, bem como compreender a visão de homem e de mundo que embasa o fazer clínico desta perspectiva teórica. Ela tem o propósito de especifico de mapear o campo da abordagem Cognitivo-Comportamental; oferecer embasamento teórico e técnico da Terapia Cognitivo-Comportamental e capacitar o aluno para realização de conceitualização de caso, planejamento e intervenção em Terapia Cognitivo-Comportamental para pacientes com diferentes demandas clínicas. Esta disciplina é pré-requisito para todos os estágios no LaPICC-USP.

Distúrbios Emocionais, Cognitivos e Comportamentais na Infância e na Adolescência

O ensino de distúrbios na infância e na adolescência tem por objetivos caracterizar e discutir, partindo de uma visão de desenvolvimento ao longo da vida, os diferentes problemas comportamentais, cognitivos e emocionais que podem ocorrer como fruto da interação de variáveis do indivíduo e do ambiente. Como objetivo específico a disciplina visa discutir a relação entre a psicopatologia da infância e da adolescência a partir de uma perspectiva do desenvolvimento social, psicológico, biológico e relacional; ponderar as influências genéticas, ambientais e individuais no desenvolvimento de distúrbios na infância e na adolescência; caracterizar os transtornos diagnosticados pela primeira vez na infância; instrumentalizar o acadêmico na realização de avaliações diagnósticas e na proposta de intervenções eficazes dos distúrbios da infância e da adolescência; e identificar ações de intervenção e prevenção de distúrbios na infância e na adolescência.

Psicologia da Personalidade II

A disciplina tem como objetivo criar condições que favoreça ao estudante uma reflexão crítica sobre diferentes modelos de teorias da personalidade e seus métodos característicos de pesquisa, em continuidade com a disciplina Psicologia da Personalidade I. Sua responsabilidade é dividida entre as Profas Dra Regina Caldana e Dra Carmem Beatriz Neufeld. Na parte que se encontra sob ligada ao LaPICC-USP, a disciplina busca fornecer ao aluno condições que permitam a compreensão dos principais elementos advindos da abordagem Cognitivo-Comportamental para o estudo da personalidade; instrumentalizar o aluno para compreensão e análise dos aspectos cognitivos, comportamentais e emocionais da personalidade na visão de Bandura, Beck e Young.

Estágios

Terapia Cognitivo-Comportamental I e II

O ensino da Terapia Cognitivo-Comportamental tem por objetivo caracterizar e discutir aspectos teóricos e técnicos desta abordagem, bem como compreender a visão de homem e de mundo que embasa o fazer clínico desta perspectiva teórica. Como objetivo especifico a disciplina busca facilitar ao aluno a definição de uma postura profissional no campo da intervenção clínica em Terapia Cognitivo-Comportamental; favorecer o treino na realização de entrevistas clínicas; prestar um serviço especializado à comunidade; possibilitar ao aluno o treino na realização de diagnósticos embasados no Manual Diagnóstico e Estatístico dos Transtornos Mentais (DSM); capacitar o aluno a estabelecer diagnóstico diferencial e elaborar propostas de intervenção diferenciadas em Terapia Cognitivo-Comportamental para diferentes demandas clínicas e oferecer a oportunidade de conceitualização de caso, planejamento e intervenção em Terapia Cognitivo-Comportamental para pacientes adultos, idosos, crianças e adolescentes.

Abordagem Cognitivo-Comportamental em Grupos I e II

O ensino da Abordagem Cognitivo-Comportamental em Grupos tem por objetivo caracterizar e discutir aspectos teóricos e técnicos desta abordagem aplicados para intervenção em grupos com diferentes demandas e formatos metodológicos. A disciplina tem como objetivo específico oferecer a oportunidade de conceitualização de demandas grupais, planejamento e intervenção Cognitivo-Comportamental para grupos; oportunizar ao aluno a intervenção em grupos terapêuticos e de prevenção e promoção de saúde em diferentes modalidades; prestar um serviço especializado à comunidade; oportunizar a experiência na condução de grupos como terapeuta, co-terapeuta e observador de grupos em TCC.

Terapia Cognitivo-Comportamental em Hospital Geral

Esse estágio tem como objetivos possibilitar a prática da Terapia Cognitivo-Comportamental hospitalar contribuindo para uma reconsideração de aspectos teóricos e técnicos; facilitar ao aluno a definição de uma postura profissional no campo da intervenção clínica em terapia cognitivo-comportamental hospitalar e a interação interdisciplinar; favorecer o treino na realização de entrevistas e atendimentos clínicos e prestar um serviço especializado a comunidade. Como objetivos específicos o estágio visa capacitar o aluno a estabelecer diagnóstico diferencial e elaborar propostas de intervenção diferenciadas em terapia cognitivo-comportamental hospitalar para diferentes demandas clinicas e oferecer a oportunidade de conceitualizacao de caso, planejamento e intervenção em terapia cognitivo-comportamental hospitalar para pacientes crianças, adolescentes e adultos.

Terapia Analítico-Comportamental para Adultos

O estágio em Terapia Analítico-Comportamental para adultos tem como objetivo possibilitar o conhecimento e a prática da Terapia Analítico-Comportamental contribuindo para uma reconsideração de aspectos teóricos e técnicos. E como objetivos específicos facilitar ao aluno a definição de uma postura profissional no campo da intervenção clínica em Terapia Analítico-Comportamental; favorecer o treino na realização de entrevistas clínicas e o raciocínio clínico em Análise do Comportamento; prestar um serviço especializado à comunidade; oferecer oportunidade ao aluno de entrar em contato com a teoria analítico-comportamental, especialmente os conhecimentos necessários à avaliação funcional, ao planejamento e intervenção no atendimento de casos clínicos; possibilitar ao aluno o treino na realização de avaliação funcional de casos clínicos e capacitar o aluno, a partir da avaliação funcional, elaborar propostas de intervenção em Terapia Analítico-Comportamental para diferentes demandas.